quinta-feira, 30 de outubro de 2008

Untitled

Viver para sempre seria a maior cretinice que o homem poderia imaginar para si, não fosse a mesmice e a luta o que mais nos restaria esperar senão que tudo se acabasse. Isso é que é uma verdadeira overdose irreversivel de sensações: não saber quando, onde, como e nem por que, simplesmente inexistir de repente. Só um gênio para fazer isso conosco. Adquirimos conhecimentos desvairadamente, trabalhamos como rolos compressores, nos divertimos mediocremente, achando o máximo, juntamos tantas coisas inúteis que não usamos, colecionamos amizades e por fim nos tornamos obsoletos e seremos substituidos por uma nova geração que repetirá tudo novamente e igual.

2 comentários:

nataliaxavier_ disse...

Naum é essa imprevisibilidade da vida (ou da morte) que deveria fazer com que aproveitássemos ao máximo td o q fazemos e td o q sentimos? E pq isso naum acontece na maioria das vezes?

Eduardo disse...

Talvez estejamos muito preocupados em juntar o que se desvanece e não o que realmente entorpece e nos faz voar(no melhor dos sentidos). Aproveite todas as sutilezas da vida.
Obrigado pelo comentário, beijos.