domingo, 20 de março de 2011

Se dói é por que você está vivo

Passamos nossas vidas reclamando, cogitando, emperrando, adiando todas as coisas que deveriam ser expurgadas de nossas vidas, pois achamos que a cruz que carregamos não nos pertence ou que estamos carregando a nossa e a de outro que pode ou não estar acompanhando nossos passos ou equivalendo o peso do madeiro. Como costumo dizer sempre aos amigos: Não passamos por nada que não é nosso. Se os espinhos nos ferem é por que entramos em meio ao roseiral sem a devida proteção, por outro lado se nos protegemos muito não sentiremos o prazer que alguns arranhões podem nos causar. Infelizmente somos alheios às coisas importantes ou seja, invariavelmente camihamos pela floresta e não vemos a floresta ou como diria Saint Exuperrie nossos muros sempre são maiores que nossas pontes, não exatamente ou necessáriamente nessa ordem. Porém, vez por outra, essa vida tediosa e rotineiramente cansativa nos prega umas boas surpresas para tendenciosamente nos abrir os olhos a respeito de nossos objetivos e rumos. Quantas vezes abrimos mão, nessa nossa passagem terrena, de coisas no minimo importantes para nosso ego e realização própria, quantas vezes damos lugar àqueles que amamos ou simplesmente nos colocamos em segundo plano para atender às necessidades prementes de pessoas que não irão concluir ou simplesmente irão desistir de algo que você não desistiria e te completaria a alma de prazer, a chamada transferencia. Na verdade esse altruismo agudo nada mais é que a sua revolta pela sua própria falta de reconhecimento de que você não fez por que não havia condição ou sua ou de quem te cuidava. E agora a sua vez passou, passou mesmo? Quem não sonha desistiu de viver, quem se acomoda é por que suas forças essenciais estão se esvaindo pela falta de impeto e para mantermos o impeto precisamos nos desvincular de pessoas e motivos inúteis. Nunca se dê desculpas pela não realização, morra tentando realizar algo, pois viver sem objetivo é muito cruel. E se dói, relaxe. Só dói por que você está vivo e viver ainda é a maior viagem. E lembre-se sempre que comer e viajar ainda são as quatro melhores coisas da vida.

2 comentários:

Verinha disse...

Belíssimo e verdadeiro texto Dú.. adorei ter feito esta leitura!
Beijocas super em seu coração e uma super semana para você!!!

perguntequevembala.blogspot.com disse...

obrigado minha amiga, beijos.