sexta-feira, 8 de julho de 2011

Essa nossa amizade, sob meu ponto de vista

O que falar sobre a amizade que ainda não tenha sido dito aos quatros ventos, como exprimir em palavras coisas tão abstratas e ao mesmo tempo tão concretas que dificilmente poderão ruir. Falar de sentimentos e ainda virtualmente é no mínimo insólito. Quando se está perto se faltam palavras apenas um toque, um gesto, um sorriso resolve, mas como mostrar isso virtualmente fica muito complicado. Aqui somos no mínimo passadores de mensagens, algumas carregadas de emoção, outras de conselhos para bem viver, outras de amor, algumas irônicas, outras bem humoradas, sempre mostrando esse nosso lado gentil e afetuoso de ser. Será que isso basta?
As pessoas se aproximam por pura falta de ter com quem conversar e não apenas uma conversa amena e insípida, existe dentro de nós um vulcão em erupção e precisamos respingar a lava desse vulcão em alguém e com certeza isso pode causar queimaduras que deixam marcas profundas.
Brincamos demais com coisas muito reais e palpáveis e de um modo geral, por mais que tentemos ser politicamente corretos é quase impossível retermos os nossos anseios e muitas vezes nos entregamos a paixões e amores ilusórios e desconhecidos para podermos preencher o vazio que se instalou dentro de nós por deixarmos de lado a preciosidade da convivência humano, por deixarmos de lado a proximidade e a intimidade dos relacionamentos.
E aí o nosso lado adolescente aflora aos cinquenta, sessenta ou que idade for, pois ainda estamos vivos e o sangue corre quente em nossas veias, é tempo de testar nosso charme, nosso papo alto astral, nosso romantismo, afinal somos de uma geração de românticos inveterados que quebraram a cara construindo castelo de sonhos, casamos achando que seria pra sempre e o sempre acaba de maneira terrível ou no mínimo espantosa.
Por quê?
Simples explicar. Toda vez que você JUNTAR DUAS PESSOAS OU MAIS NUM SALÃO FECHADO, descobrirá que o local ficou pequeno demais para todas as possiblidades, ideais, formas, jeitos e trejeitos de todos que ali estiverem. Haverá disputa por liderança, haverá competição, haverá exposição, haverá muita argumentação e quer saber, todos terão suas razões e não abrirão mão delas, podem até se adaptar aqui e ali como forma de sobrevivência, mas uma hora ou outra mostrarão suas garras e pularão no pescoço uns dos outros.
E aí eu retorno pro assunto dizendo a você meu amigo e minha amiga:
Não há nada mais gostoso do que essa convivência pacifica da internet, não há lugar melhor pra se apaixonar e viver em estado de êxtase, aqui os corações aceleram no ritmo de sua vida, as pessoas são e estão prontas para trocar beijos e abraços, carinhos e emoções. Aqui o eu te amo é mais verdadeiro, pois não existem obrigações e nem coparticipações. O ciúmes é controlável, por que não há contato físico e a divisão está implícita nas redes. Não possuímos ninguém e somos de todos.
Por isso eu espero ter atingido meu objetivo com esse texto que foi o de dizer em alto é bom tom que tenho por você um apreço imenso e espero compartilhar de sua amizade não para SEMPRE, mas enquanto Deus permitir e você quiser.

E.Batbuta 08/07/2011

Um comentário:

* Verinha * disse...

Muito bem colocado Eduardo!.. Como lhe disse.. adoro ler seus textos!

Um beijo em seu coração..
Verinha