terça-feira, 17 de junho de 2008

Carta para mim mesmo daqui a dez anos II

Querido eu!!!! Espero encontrá-lo forte e saudável, sem dúvida um pouco mais calvo e grisalho, mas sintomaticamente o mesmo gozador de sempre e muito bem definido espiritualmente. Estou escrevendo-lhe esta carta para relembrá-lo de algumas lutas insanas que passamos juntos, tentando modificar as pessoas e salvar o mundo, e, que invariavemente fracassamos no nosso intento. Pensei muito no assunto e sinceramente naquele caso de familia que nós só queriamos o bem de mãe e filha, esquecemos que eram elas que teriam de se querer bem entre si, independente de situações. Aquele nosso amigo que pagou R$ 9.000,00 por uma noite de amor, não era cabeçudo como nós achavamos, era carente e carência faz essas coisas. Nossos filhos não nos abandonaram, aprederam a viver suas próprias vidas, graças a Deus. Lembra de quanta luta para termos um grupo unido no trabalho, quanto trabalho por uma causa tão simples, por que simplesmente a simplicidade da proposta feria o orgulho próprio decada colega. E nós... o que fizemos do resto de nossas vidas. É obvio que eu espero que você tenha deixado de olhar pras pernas das amigas da sua filha, afinal velho e lambão, não, né João. Hoje devem estar todas casadas e com filhos,ihihihihihihihihihihihih, espero também que tenha emagrecido um pouco, nem que seja no branco dos olhos ou mesmo nos cilios. E que sua filha tenha resolvido aquele caso mal resolvido de gestão emocional em relação ao homem perfeito. Você continua orando todas as noites para que não chova nos feirados prolongados?pra que a viagem dê certo?E que sua mulher goste? Afinal se você só vai se ela for, continua não indo a lugar nenhum, né mané? Sinceramente eu espero que você tenha enfim se libertado daquele complexo de jumento empacado e esteja agora descansando numa poltrona do papai, pensando em como era boa a sua vida . Rindo de tudo os que seus netos lhe contam e se fazendo de surdo pro que não quer ouvir, de cego pro que não quer ver, de mudo pro que não quer falar e com amnésia.

Um comentário:

Helen disse...

Olha Dudu, muito bom...Adorei...Vou escrever tb uma carta pra eu mesma...Quero lembrar das tolices q vivo nos dias de hj, e poder me lembrar com saudades delas...